O que são as Fito-ETAR (domésticas)?

As fito-ETAR domésticas, ou bacias de evapotranspiração (Br.), são uma tecnologia de baixo custo que permite o tratamento de águas residuais cinzas e/ou negras.


Desenho técnico: Fito-ETAR doméstica Constituída por duas partes que correspondem às duas fases do tratamento de águas cinza e/ou negra (A e B), é construída em ferrocimento para mais durabilidade.

O PROCESSO É SIMPLES 

O efluente é descarregado por gravidade em vários tanques (de ferrocimento, para maior durabilidade), para ser tratado/depurado em duas fases distintas:


1ª Fase: DECANTAÇÃO Na primeira fase, o efluente entra no(s) tanque(s) de decantação (podem ser um ou 2, ou mais), onde os resíduos sólidos grosseiros são depositados por gravidade no fundo. Aí, serão progressivamente diluídos e decompostos pela micro-fauna naturalmente presente, sendo que o que passa depois para as câmaras seguintes, é somente o liquido à superfície, dado a comunicação entre os locais de fases distintas se encontrar à altura de 1m do fundo do último (ou único) tanque de decantação.


2ª Fase: DEPURAÇÃO Isenta de materiais sólidos grosseiros, a água passa lentamente para uma segunda câmara constituída por duas partes, distribuídas de forma vertical:


Na divisória do fundo do tanque, o efluente passa por um meio constituído por inertes de granulometrias variadas (camadas de tijolo, telhas e pedras gradas, britas, camada vegetal (troncos), areia, terra, mulch) que actuam como filtro e local de crescimento de colónias de bactérias. Aí, grande parte dos constituintes do efluente (nitratos, nitratos, amónia, ureia, fosfatos, bactérias, protozoários, entre outros) são decompostos, eliminados e filtrados.


A segunda parte é constituída por uma variedade de espécies vegetais plantadas à superfície. Estas são escolhidas pela sua grande capacidade de depuração como a bananeira (Musa spp.), o lírio amarelo (Iris pseudacorus), os juncus (Juncus spp.), o vetiver, (Chrysopogon zizanioides), caniço (Phragmites australis), entre outras.


Estas plantas absorvem, através das suas raízes, os compostos simples resultantes da acção das bactérias, contidos na água que atravessou as diferentes câmaras. E nesse sentido, as fito-ETAR não têm só uma única função…


3ª Fase (opcional): RESERVA DE ÁGUA TRATADA Opcionalmente, pode ser construida uma cisterna de água, acoplada ou não, de capacidade adequada, para guardar a água recém tratada para posterior irrigação de pomares ou prados.


HIDRATAÇÃO DA PAISAGEM

O resultado final da acção da fito-ETAR é um efluente depurado com uma carga irrisória de poluentes, nutrientes e patogénicos. Este pode, e deve, ser reutilizado na rega de pomares, sebes ou floresta, sendo que em último caso pode ser descarregado em corpos ou linhas de água sem problemas para o ecossistema, quer a nível de eutrofização e contaminação, quer a nível de saúde pública.


Através duma fito-etar, é criado um ecossistema húmido e ensombrado, resultado directo da evapotranspiração do próprio sistema e sobretudo das plantas que o constituem (estima-se que a evapotranspiração em clima mediterrânico, no verão, é entre 6-8mm por dia, ou seja, 60 a 80 m3 de água, por Ha, por dia).

Assim, se cada lar implementar uma fito-ETAR para a depuração dos seus efluentes, podemos dizer que a evapotranspiração duma região seria multiplicada em consequência, contribuindo para a criação de microclimas, a hidratação da paisagem e a estabilidade dos ciclos hidrológicos…


ALÉM DA DEPURAÇÃO, A TRANSFORMAÇÃO

Considerando a quantidade de lares portugueses sem ligação à rede de esgotos, bem como a percentagem entre estes que têm a sua fossa com “poço roto” (por vezes situada perto do furo que abastece as torneiras de casa, ou a derramar lentamente na linha de água mais próxima), é caso para nos orientarmos para soluções mais eficientes, mais baratas, mais duradouras, mais rentáveis,… muito mais rentáveis! E que não prejudiquem o ecossistema, antes pelo contrário…


É que com as soluções de saneamento ecológico, os resíduos não só são purificados, são transformados num recurso valioso: é o que acontece nas fito-ETAR, nos biodigestores, ou em casas de banho secas diversas. Cada um destes sistemas traz os seus benefícios próprios, então, para escolher o melhor sistema, podemos-nos perguntar, em simultâneo:

Quais são as suas necessidade e possibilidades (quantidade de pessoas e duches, sistemas já existentes, disponibilidade em recursos:água, serradura, sol, etc.) ?

Faça uma auditoria de consumo para entender o volume de água que passa no seu sistema! Pode simplesmente verificar o seu contador de água, se tiver um furo, começar a tirar as suas medições, ou passar por um simulador de consumo como este ou este.Qual é o impacto/produto final que deseja obter a partir dos seus resíduos ? Água/evapotranspiração: para aumentar a taxa de humidade no jardim;Gás: para utilizar na cozinha;Composto/fertilizante: para adubar fruteiras; ou atéQuase “Nada” (na casa de banho seca sueca, o único resíduo é o gás, ventilado para fora de casa, e uma quantidade ínfima de líquido fertilizante).


Para já, em casas já construídas, e sem dúvida para o tratamento de águas cinzas (banhos, duches, lava-loiça, roupa, etc.), a solução mais adequada será sem dúvida a fito-ETAR. Por esta razão, (e muitas outras outras!) recomendamos as fito-ETAR em ferrocimento, technologia mais duradoura: são versáteis, discretas, e uma excelente maneira de aproveitar as águas residuais, como por exemplo em estufas para fruteiras tropicais, em pomares, sebes, ou em tanques para qualquer outro uso!




Se gostas do nosso trabalho e da disponibilização gratuita de ficheiros, apoia e divulga, e deixa um like na nossa página de facebook - Terracrua Design


Download gratuito dos planos, aqui:

Contactos:

+351 283 032 019

+351 910 748 670

Terracrua Design - Odemira, Portugal | Copyright © 2015 All Rights Reserved by Terracrua Design